sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Pedaços crocantes de puro bem-estar


Toda a doçura de uma tela em branco à espera de uma cor preenchendo todo o universo que cabe dentro de uma única frase a ser repetida indefinidamente e toda vez que dedos deslizarem suavemente pelas minhas costas desenhando um suspiro em meio ao silêncio de um abajur solitário (...). Luzes apagadas e daqui a duas horas e meia o dia amanhece dentro da cafeteira ligada no chão bem no meio do quarto onde a música desliza sobre as paredes nuas (...). Livros insones nas prateleiras ao lado do armário semi-aberto e uma borboleta no centro da cama de casal onde descansa uma gata branca sobre o travesseiro azul. Seguindo sempre em frente há alguma possibilidade de reencontrar um certo equilíbrio constantemente desviante onde mergulho de tempos em tempos quando o café tem aroma de baunilha e o mel se mistura à pedaços crocantes de puro bem-estar (...).

Liz Christine

Um comentário:

Kaleb disse...

Menina,

e (de alguma maneira) meus pedaços crocantes de puro bem-estar,

vem cá, vou te contar, o relógio bate mais um minuto próximo das duas da manhã: 01h54. E terminei de ler teu último texto, depois, de relê-lo. E de misturá-lo a uma música, que é um pedaço doce de puro bem-estar.

Quer mais? Sopra um pouco de ânsia sobre o peito de teu gato branco, mas só um pouco, pra ele não acordar do sonho em que teu sopro leve induzirá, e depois, depois vá ouvir Matthew Ryan, "Return to me", vá ouvir a voz dele e a dos instrumentos de sua música, em especial a do piano. Se possível, deixe a noite passar, igual estou fazendo com meu início de madrugada. Depois, depois já não sei mais, porque a madrugada acontece enquanto te escrevo. Então só digo: estas minhas palavras têm a ver com um bem-estar que procurava esta noite, e não num pedaço, mas num inteiro, doce, suave, (e não sei que mais) como uma tela em branco que espera por uma cor, ou uma cor que procura por uma tela em branco. Que encontrei aqui, fragmentada aqui, e que venta a brisa que esperava pro verão adiantado desta noite.

Beijo, um - ou quantos te parecer melhor -,

Calebe