sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Rassicurare




Lei sogna e lo fa. Lei ha sognato e ci crede. Il sogno è l’inizio di questo racconto. La fata che si è fatta suora ha dipinto un quadro.

Um sonho dentro de outro sonho dentro do mesmo sonho dentro do quarto rosa onde as paredes azuis de outro quarto se misturam aos olhos da cor do mar ou da cor de esmeraldas que aparecem sorrindo dentro do espelho invertido que a bruxa roubou e se fez então silêncio...

Os olhos negros de Myrtha.

La “sorella” di Sòcrates si è innamorata di Greta Garbo da tanto. E Greta Garbo la vuole tantissimo. (La “sorella” di Sòcrates non è biologica, sono fratelli di anima.) Il sogno è l’inizio di questo racconto. Non c’è nessuna suora qui. La suora è là. La suora è qua. Vicino, lontanto. Il sogno diventa realtà e la realtà diventa un sogno and life is like a song – conosci questa canzone? Ti piace la voce di Etta James? E la voce di Edith Piaf? E la voce di Ella Fitzgerald? Conosco una gatta che si chiama Ella e l’ho incontrata ieri.

A bruxa roubou as jóias e o espelho invertido – e ainda tentou roubar a paz. Nada importa mais que a paz. A paz interior ou a paz entre os reinos. Myrtha, a rainha que passeia por entre os bosques de mirtilos, bem o sabe. Ela uniu dois reinos sem recorrer a guerras. Uniu com a voz do rio congelado que deságua em um mar que canta as sereias que se enamoram de princesas que sentem ciúmes excessivos e a bruxa tudo vê e manipula corações inseguros. A bruxa se alimenta da insegurança alheia. E lança terríveis feitiços que só a paz no coração poderia quebrar. A paz dos que têm certeza. A certeza de que não sonham em vão. Nenhum silêncio é em vão e nenhuma palavra é em vão e um sonho é o início de quase tudo ou de quaisquer transformações...

Lei sogna e ci crede. Lei sogna e lo fa. Qualcuno dipinge. Qualcuno scrive. Nessun dorma, nessun dorma – è mezzanotte e il mare non è calmo. Rassicureremo il mare...

Liz Christine

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Riservatezza




Un gatto felice di undici anni che vive nella stessa casa da dieci anni. Questo gatto è stato adottato a quattro mesi e ha vissuto per sei mesi nella prima casa della sua famiglia. Poi la famiglia si è trasferita e ha portato il gatto nella seconda casa. E quando il gatto aveva cinque anni hanno adottato la sua sorellina, una gatta affidabile come lui. La sua sorellina è stata adottata a due mesi. Adesso la gatta ha sei anni e non ha conosciuto la prima casa. È vissuta nella seconda casa per tutta la sua vita. E allora la famiglia deve trasferirsi di nuovo. Portando i suoi gatti, certamente. Non è facile traslocare un gatto – due, in questa famiglia…

Felinos e suas especificidades. Olhares expressivos, miados suaves, banhos meticulosos. O gato sobe as escadas. A casa atual tem dois andares. E a casa futura? O gato não sabe – nem sua irmã o sabe. Mas sabem que a futura casa será mais tranquila. A atual é barulhenta às vezes. Barulho de trânsito e vozes altas vindas das proximidades. Este casal de irmão-irmã adotados não gosta de gritaria. Quase nenhum felino gosta. Eles próprios só miam mais alto de vez em quando – o resto do tempo nem miam, ou miam baixo. E estão satisfeitos em saber que vão se mudar – esta família não sabe mas os gatos entendem tudo o que eles falam entre si. Eles é que não compreendem o que os gatos miam... Mas esta familia nunca havia adotado gatos antes destes – estão conhecendo a espécie agora. Às vezes leva-se quase uma vida para conhecer uma espécie... e os gatos têm sete vidas para desfrutar o mundo e seus prazeres ou observar o mundo meio à distância... Voltando a estes dois felinos adotados – claro que estes dois já ouviram falar que em outra cidade, não tão distante, existe um gato chamado Sócrates que escreve sobre si mesmo (raramente) e sobre sua rede de amizades felinas a quem ele chama “la famiglia”... E sabem também que Sócrates gosta de assistir balés bebendo chá inglês – Sócrates é quem não sabe que outros já o sabem...

... Riservatezza – questa parola impossibile...

Liz Christine