sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Vederti ballare



As irmãs celibatárias. Uma pequena sociedade secreta de pavões. A falta total de discrição das múmias sofrendo de gula enfadonha ou até mesmo de compulsão alimentar. Cada qual com sua comedida bagagem de problemas discriminatórios. Preconceitos antecipadamente reprimidos. O pensamento é livre – não sofrendo repreensões ou olhares de desaprovação se não forem pronunciadas as medidas. Medidas a serem tomadas então a partir de desde sempre e quando e toda vez que desejada seja a – ...

Seja feita a vossa vontade –

Encontrar a mesma vontade em outro ser (vivo) – duas consciências distintas com o mesmo objetivo ou vontade – semelhantes – exceções – minorias – pequenas sociedades secretas – as coisas todas têm consciência em parte à parte em si bemol – o sol e a consciência essencialmente felina (...),

A tão desejada tranquilidade – a mente quieta e o coração tranquilo. O conforto da paz de espírito reencontrada. Seja como for, soulsister.

A primeira vez – em que nos olhamos. Era uma apresentação de Giselle. A primeira vez – em que nos procuramos. Era domingo. Sunday kind of love. Era domingo na voz de Etta James – na realidade era um outro dia. Mas a voz da Etta James preenchia todo o ambiente. E foi assim, soulsister. O gato mais querido do mundo tem medo de chuva. E quando venta forte o gato se esconde. O gato mais querido do mundo tem pavor de relâmpagos mas adora a neve em Roma. Principalmente em novembro. Mas nem sempre. Nem sempre tem neve quando o gato quer. Mas os pinolis sempre chegam na hora certa quando a gata pede – e os pedaços levemente derretidos de Babybel chegam igualmente na hora certa quando são pedidos. O gato gosta de muitas coisas. Os pavões arruaceiros não – os pavões da pequena sociedade secreta gostam é de criticar tudo e todos. Sem distinção e sem parcimônia. Sem bom senso e na maior parte das vezes sem muita educação. Apesar da boa aparência. Que aliás não significa muita coisa às vezes. Até onde as aparências enganam ou até onde a aparência poderia ser um espelho dos pensamentos? A postura pode ser um espelho. Ou não? Ou sim? Ou talvez? Ou depende? Seja como for, soulsister.

Os pavões de boa índole – diferentes de outros tipos de pavões que se refugiam em pequenas sociedades secretas de arruaceiros sociáveis.

O café está muito bom hoje. O quiche de champignon também. Mas não sofremos de compulsão alimentar nem somos múmias. Consciências essencialmente felinas. O galgo que vemos passear de vez em quando é igualmente elegante. Transtornos não são piadas. É que não resistimos. As múmias fofoqueiras nos fazem sofrer – são muito venenosas. Desculpem a falta de tato. Mas precisamos de vez em quando. Rir da chuva que assusta o gato. O gato é muito querido. As babuskas igualmente. E as sapatilhas também.


Liz Christine

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Specchio



_ Um espírito atravessa o teto…
_ Que espírito?
_ O espírito da minha alma gêmea...
_ E isso existe?
_ Não... Não, não existe. Não quero fazer sentido...

Acabou-se. Começa hoje. Agora. Ou nunca. Uma música de Elvis Presley. Uma música de Aretha Franklin. Billie Holiday, Chet Baker, Edith Piaf, Beatles. Não se aproxime porque… nada…

… faz – sentido, apenas quero

(ser)

                  … Livrai-me do mal…


Bastet, lembre-se dela. A liberdade quase. Impossível ou não. O cotidiano e seus problemas diários – aprisionam. O pensamento livre. Os sonhos sólidos. O chão que se desmancha a cada passo. A coreografia das horas nuas. Plágio eterno. Tudo se modifica. Agora. Ou nunca. Já esperamos demais – muito mais do que deveríamos. O lixo continua pelas ruas – o lixo é recolhido apenas uma vez durante a madrugada. E vão se acumulando. As utopias. Impossíveis ou não. Melhorar, mudar, permanecer, manter, apurar. A engrenagem fragilizada. O sistema falido. Tudo errado. O certo é imaginar como poderia ser – e tentar permanecer em...

Estado de...

... Não diga nada. Suspenda o pedido. Tem formol no suco. Quem fiscaliza? Quem é responsável por isso? Pergunte a outra pessoa, não sabemos de nada.

Há quem diga que não existe certo e errado – palavras vazias, apenas palavras. Então qualquer tipo de injustiça é válida? Tirar uma vida por bens materiais não é errado então? Agredir gratuitamente ou ofender pessoas inocentes também não é errado? Há os ladrões que roubam com armas e os ladrões que roubam com discursos baratos e abuso de poder oficial – a demagogia de políticos que roubam nossa qualidade de vida. Os planos de saúde que não nos atendem quando precisamos. Os hospitais públicos nem se fala. E a cultura, melhor forma de aprender e exercitar a sensível elaboração de pontos de vista, o que é a cultura neste mundo insano?

Sistema falido. A engrenagem fragilizada. Como melhorar? A quem interessa melhorar? A todos nós, exceto aos que se alimentam e enriquecem através de misérias e ignorâncias humanas. Manipulação de sistemas falidos.

Specchio, specchio delle mie brame...

"Quando mi trastullo con la mia gatta, chi sa se lei non faccia di me il proprio passatempo più di quanto io faccia con lei?"
(Michel De Montaigne)

Diga que o paraíso existe – é reencontrado durante as pausas introspectivas em olhares felinos. A mente quieta e o coração tranquilo novamente e sempre que for possível. Que assim seja. Mas como pode ser assim em momentos como este em que estamos tão...

... contrariados e insatisfeitos?

Pausas diárias. Inspire. Até as mais doces companhias de estimação ficam contrariadas de vez em quando. Seja sensata mas não deixe de exercitar as mais sensíveis elaborações de...

:-(a dieta della tradizione mediterranea per il tuo felino(-:

 Un po' di meritato riposo – specchio, specchio delle mie brame...

(Virgolette)

Liz Christine