domingo, 9 de outubro de 2011

Realidades compartilhadas


O mar exalando aroma de framboesas frescas – a maresia dorme no parapeito das janelas. A letra da música virada do avesso e as xícaras transbordando inércias virtuais. Os amores dos séculos já ultrapassados acordam a instabilidade da maresia – a letra da música virada do avesso informa a ilusória satisfação das fantasias mais inocentes.

O mar exalando aroma de framboesas frescas – a maresia sonha acordada dentro do chuveiro. As ilusórias alegrias momentâneas se refazem na colher cheia de doce-de-leite. Os prazeres reais e inocentes se redesenham indefinidamente nos sonhos tecidos por aromas agradáveis aos sentidos ilimitados.


O gato mais doce do mundo ronrona ao ser acarinhado e suspira como um anjo ao dormir suavemente. O gato mais doce do mundo acompanha o movimento da coleção de borboletas beijando as flores. Os amores dos séculos já ultrapassados flutuam nos aromas que invadem as flores crescendo livremente ao redor de silêncios compartilhados.


Um casal de mulheres se beija dentro do quarto lilás. A simetria da letra da música define o sabor da realidade absorvida pelos sentidos ilimitados. Os sonhos praticados dentro do quarto lilás são sussurrados em poemas musicados. O aroma de J’adore se espalha no vento que suaviza a instabilidade da maresia – e o amor já ultrapassado retorna na simetria das realidades compartilhadas.


Liz Christine

Um comentário:

Celylua - O blog das Letras disse...

Inspiração fascinante...
Você é uma escritora brilhante, parabéns!
Beijo.