sábado, 12 de abril de 2008

Mar esverdeado


Coração partido
Febre frio sede
Febre de sentidos alterados pelo excesso
Excesso de sede e tateio toda a minha e a tua pele
Nuas como é nua uma noite de palavras trocadas
E sentidos tocados
Passeia pelas minhas imagens
Tua mão me massageia com certa violência
Mas teus beijos são doces
Como é doce teu perfume de criança espontânea
Ao natural sem esconderijos e disfarces
Teus beijos me são necessários como sonhos são essenciais
Você é a mais verdadeira das minhas verdades
Quando estamos assim abraçadas e nuas
E as estrelas sussurram que mesmo que essa noite acabe
Mesmo quando o mar se for de dentro de nossas frases
Ditas no escuro
Ainda estaremos juntas
Juntas no meu coração partido
Partido porque a realidade é crua
E lá fora não há música
Mas aqui assim com você
Eu me renovo e me esqueço
Esqueço o frio
E mergulho no mar esverdeado

Liz Christine

Um comentário:

pedrolago disse...

De volta à poesia!