sexta-feira, 3 de agosto de 2007

The end of me

Eu nunca quis escolher entre amor e liberdade. Eu sonhava com ambos. E só encontrei solidão. Solidão nas minhas idéias, solidão nos meus desejos. Algumas pessoas se apaixonaram por mim. Algumas pessoas tiveram ciúmes. E agora eu já não sei mais se acredito nas minhas próprias idéias. Talvez eu estivesse errada. Realmente não sei. Não sei se consigo viver da forma que consideram correta. Tragedy, just seems to be the end of me

Liz Christine

Um comentário:

sury disse...

como alguém tão perturbado pode ser tão belo? talvez a beleza resida nisso mesmo,na loucura das coisas que vivemos, com a intencidade que lhe oferecemos. hoje perdi-me nessa loucura e nessa febre. um beijo...e obrigado